15/05/2017

Coren-RJ abre a semana de Enfermagem debatendo a valorização dos profissionais de Enfermagem e a violência institucional

O Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro (Coren-RJ)

O Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro (Coren-RJ) realizou a abertura da Semana da Enfermagem 2017, nesta quinta-feira (11), no auditório do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO), em São Cristóvão. Cerca de 200 pessoas lotaram o evento que teve como tema principal a “Valorização dos Profissionais de Enfermagem: Não a Violência Institucional”.

A presidente do Coren-RJ, Dra. Maria Antonieta Rubio Tyrrell, ressaltou a importância deste debate para toda a categoria. Em sua fala, Tyrrell defendeu os profissionais de enfermagem que sofrem este tipo de violência no seu dia a dia. “Nós enfermeiros, mesmo com todos os pesares, continuamos firmes, trabalhando com responsabilidade politico-social e técnico-científica para com toda a sociedade”, completou.

No decorrer do evento, o Defensor Público da União, Daniel de Macedo formalizou a parceria da DPU com o Coren-RJ, através da assinatura de um convênio. Este, é uma parceria institucional para desenvolvimento, em conjunto, de programas, projetos e atividades de cooperação técnica-científica, bem como o intercâmbio de dados, informações e conhecimentos e experiências, nas áreas de saúde e do direito.

Para debater o assunto principal desta Semana de Enfermagem do Coren-RJ foi realizada uma roda de conversa. O debate contou com a participação de Maria Helena Machado, pesquisadora titular da Fiocruz e responsável pela pesquisa Perfil da Enfermagem no Brasil, subsidiada pelo Cofen, da presidente do Coren-RJ e de Ana Rocha, ex-secretária municipal de políticas para mulheres.

No debate, Maria Helena demonstrou dados da pesquisa que corroboram a violência institucional sofrida pelo profissional de enfermagem diuturnamente. E falou sobre um dado alarmante acerca de enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem: o que mais entristece a categoria é a invisibilidade. Ana Rocha frisou que a enfermagem é uma profissão predominantemente feminina, o que acaba por criar uma cultura de que o profissional é um cuidador e não é tratado com o respeito que merece.

Por fim, foram laureados os Enfermeiros Responsáveis Técnicos com o prêmio Enfermeira Rejane de Almeida que se destacaram pelos relevantes serviços prestados à sociedade. Você confere abaixo a lista dos premiados:
Anna Cristina de Freitas – Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia
Claudia Maria Alexandre do Carmo – Instituto Fernandes Figueira
Edna da Silva Pereira – Hospital Federal de Bonsucesso
Fabiana Aparecida Corrêa de Oliveira Braga – Hospital Universitário Antônio Pedro
Fátima Alves Teixeira Leal – Hospital Municipal Salgado Filho
Kelly Christine Gaspar do Nascimento – Hospital Municipal Nossa Senhora do Loreto
Lourdes Alexandrina de Castro – Instituto Nacional de Cardiologia
Luciana de Carvalho – Hospital da Posse
Marcella Cristina de Souza Pereira – Hospital da Mulher Mariska Ribeiro
Rejane Araújo de Souza – Hospital Universitário Pedro Ernesto
Rosane de Castro – Hospital Municipal Miguel Pedro
Sandra Cristina de Sá Portella – Hospital Quinta D’or
Simone Pereira Machado – Hospital de Icaraí
Sonia Regina Aguiar Souza Springer – Instituto Nacional do Câncer I
Tatiana Barros de Souza – Centro Municipal de Saúde Marcolino Candau
Zuleide Alzira de Santana Aguiar – Programa Cegonha Carioca




  • e-dimensionamento-207x117
  • add_5
  • parecer_CT2
  • BannerLateral_codigo_etica