12/12/2018

Representantes do Coren-RJ e profissionais de enfermagem discutem dimensionamento de pessoal do Hospital Municipal Salgado Filho com a secretária de Saúde.

  Na última terça-feira (11/12), a presidente do Coren-RJ, Ana

 

Na última terça-feira (11/12), a presidente do Coren-RJ, Ana Lúcia Telles Fonseca, o primeiro-secretário, enfermeiro Glauber José de Oliveira Amancio, a chefe do Departamento de Fiscalização Daniele Bartoli, além de profissionais de enfermagem da gestão e da assistência do Hospital Municipal Salgado Filho, mais representantes da direção do sindicato dos enfermeiros, reuniram-se na Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro com a secretária Ana Beatriz Buch.

A pauta da reunião trouxe assuntos como déficit de profissionais de enfermagem, falta de insumos básicos, superlotação de pacientes, valor da dupla jornada desatualizado, abertura do CER, cirurgias eletivas, suspensão de cirurgias, falta de macas, adoecimento de profissionais. Esses pontos emanaram dos profissionais de enfermagem e que, recorrentemente, são denunciados ao Conselho Regional de Enfermagem através de sua Ouvidoria e constatados no local pelo Departamento de Fiscalização.

O primeiro-secretário do Coren RJ Glauber Amancio reforça o ponto do subdimensionamento de pessoal, a questão da superlotação de pacientes e falta de insumos básicos como sendo um impeditivo para a prática do exercício profissional de enfermagem, acarretando questões éticas. Glauber Amancio comentou ainda que, hoje em dia, os profissionais já não lutam mais por status ou piso salarial, e sim por condições mínimas de trabalho e que naquele momento os mesmos estavam ali ansiosos por soluções concretas.

A presidente do Coren-RJ Ana Lúcia Telles corroborou a fala do primeiro-secretário e adicionou que a situação é de insegurança para o profissional de enfermagem, pontuando sobre o comprometimento da assistência prestada, em função da falta de estruturas mínimas como das macas, por exemplo.

A secretária de saúde Ana Beatriz Busch mencionou a paralisação do Hospital Ronaldo Gazolla, em Acari, como um dos motivos da superlotação do Hospital Municipal Salgado Filho. cuja previsão de reabertura está prevista para o final de dezembro. A secretária apontou ainda que haverá concurso público em 2019 e que a obra de uma Coordenação de Emergência Regional (CER) na unidade será demorada e ainda não há previsão de construção.
Após várias colocações por parte dos presentes, a secretária acordou, a curto prazo, o fornecimento de novas macas; uma força-tarefa para organização da emergência e porta de entrada. Também solicitou à direção de enfermagem da unidade um relatório atualizado com o detalhamento do déficit de profissionais, visando em breve um reforço na equipe com as duplas jornadas, até que sejam feitos concursos públicos.
Os profissionais pontuaram que os valores de dupla jornada estavam defasados e necessitavam de reajustes.

A presidente do Coren-RJ solicitou que o projeto de reforço para os profissionais fosse, no mínimo, para englobar Natal, Ano Novo e Carnaval, épocas com maior fluxo de pacientes.

A secretária de Saúde se comprometeu também a trazer uma proposta concreta do RH quanto a valores contratações de profissionais até o dia 20 de dezembro desse ano.




  • BannerLateral_codigo_etica
  • e-dimensionamento-207x117
  • add_5
  • parecer_CT2